MC Menor Ouzado – Mexe o BumBum – “UM ESTRANHO NO NINHO” DA MUSA COQUEIRAL

“UM ESTRANHO NO NINHO” DA MUSA COQUEIRAL

Por que me aprofundo e me afundo cada vez mais neste mistério amoroso da Musa Coqueiral? E também como, quando e o que nela insisto e persisto?

Como se eu fosse “um estranho no ninho” da Musa Coqueiral, continuo mais perdido que cego em meio ao tiroteio, e bem no meio mesmo da Praça Coqueiral. E o que é muito pior, fora da época do carnaval. E a saudade dela? Está matando-me por dentro e por fora, me destroçando todo, Ave Maria! Será que escapo dessa saudade fatal? Há dias que não a vejo nem me dá o ar da sua graça. Meu Deus, ela é uma gracinha e eu morro de arrebatamento amoroso por ela nesse seu desaparecimento de final de semana, passagem do mês maio/junho do calendário Vitoriano e eu sem lhe ver um só instante, que castigo do destino que me mata de vez assim. Que falta de sorte a minha em apenas lhe ver passar na Praça Coqueiral…

Repito… “Ah! Um urubu pousou na minha sorte” porque há três dias, no último sábado, 31/5/2014, às 15h35min., morreu a gata que dei guarida, porque ela me pediu por meio da linguagem dos olhos, e, dessa maneira angelical também próprio só dos felinos, que como é a natureza de minha própria sina, eu jamais podia negar tal guarida. Posto que me havia afeiçoado também à ela quando deu cria a cinco gatinhos lindos, há menos de 20 dias. Agora estão órfãos e ela lutava desesperadamente pra amamentá-los… Enfim, morreu porque em seu instinto de caça matou uma lagartixa, mas não a comeu, bebeu seu sangue, mas como é envenenado levou-lhe a óbito fulminante. Estou triste e inconsolável pelo seu luto e mais ainda por nem ter visto de longe a musa Coqueiral…

Fiquei muito triste desde quinta-feira, 29/5/2014, à tarde, quando há cinco dias não a via, e de repente, vinha saindo de casa com seu irmão, o Cavaleiro da Távola Redonda, Mc Rei Artur, e ambos emparelhados, uma gracinha de se ver nos seus 15 e 16 anos decerto, ela mais do que eles (Mãe, Pai e Irmão) e isso me deixa intrigado comigo mesmo, continuam me ignorando… E é como se eu fosse além de “um estranho no ninho” também invisível… Era só o que me faltava! Que deu neles? Eu os amo a todos, eu os adoro e os venero que chego a ter medo desse meu amor doido demais por eles todos.

Mas acho que é por isso mesmo que o meu amor por eles é incondicional jamais amor de carnaval, e mesmo fora de época, em grandes intervalos de tempos idos e vindos, eu não desisto nunca porque é o meu primeiro, único e último amor de minha vida! Enfim, é o último vagão do amor de Monty Cristo e se eu perder é meu fim, a minha morte e derrocada por todos os séculos dos séculos amém!

Destarte, tenho de ter muito cuidado! A Musa Coqueiral é coisa muito séria, e não me é, nem nunca me foi, tampouco me será amor de carnaval. É amor transcendental! Ainda mais porque corre a boca de Matilde que ela, a Musa Coqueiral, tem apenas 15 anos de idade. Por isso, sequer posso ao menos cumprimentá-la, cortejá-la, conquistá-la sem o consentimento de seus pais, que me o dará se eu tiver o consentimento primeiro dela. E como vou conseguir se isso é quase impossível, pois dependo do consentimento dos pais e irmão. Estou literalmente pisando em ovos, pois que no meu País, na forma da lei, quaisquer envolvimentos e/ou relacionamentos com menores de idade tal como é o caso dela (Musa Coqueiral – 15 anos) acarreta processo de pedofilia. É mole ou quer mais! Chupa essa manga seu Monty, menestrel dos carnavais doutras praças e quintais.

Ah! Foi por isso que ontem, domingo, 1/6/2014, a saudade dela (Musa Coqueiral) destroçava-me as entranhas, o coração, o bofe, o fígado, as tripas, os rins, o cérebro, cabeça, tronco e membros. Enfim, a alma, o espírito e o corpo presente e ausente, mas não consegui sequer cumprimentar sua Mãe, sentada lindamente no banco da Praça Coqueiral, pois morria de saudades dela (Musa Coqueiral) sem choro nem vela e eu só no meio da Praça Coqueiral etc e coisa e tal. E nada dela aparecer como no domingo passado naquele vestido deslumbrante…

Afinal ela fica uma gracinha em quaisquer vestidos… Pastorei… pastorei… pastorei… à noite, das 18h às 22h., pra ver ela aparecer à porta, mas nada dela dar o ar de sua graça… Dormi inconsolável e triste, por nem sequer vê-la e pelo luto da gata por quem me afeiçoara há cerca de 20 dias…

Hoje, 2/6/2014, segunda-feira, 6h45min., de novo, Pastorei… pastorei… pastorei… E finalmente, só pela manhã, a vi quando seu Pai a levou à Escola… Agradeci a Deus e orei por eles todos: Musa Coqueiral e a Família Coqueiral!

Advertisements

About fucirla

Fundação semiótica idealista à procura do paraíso perdido da pesquisa científica por obra e graça da corrupção do Governo FHC/PSDB que tomou conta do país, açambarcando-o do Oiapoque ao Chuí, e causando estragos irreversíveis à ciência.
Video | This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s